Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Capítulo 3 - Espera

por Jessie Bell, em 19.04.11

 


 



 


 


 


 


Sábado. Tudo o que eu conseguia pensar era em sábado. O dia que nunca mais chegava. As aulas estavam a correr muito bem. Mas estava preocupada com os apuramentos para as chamadas gifted classes. Basicamente, eram aulas suplementares, para os quais éramos seleccionados. E que eram dedicadas, simplesmente aos nossos dons. Decidi, melhor, decidimos, eu e o Mike, fazer uma coreografia de dança contemporânea em conjunto. Para teatro faria o meu monólogo, que já tinha escrito há séculos e, para canto, ainda tinha de escrever uma música, que provavelmente seria uma porcaria…


Os dias passaram devagar, muito devagar, demasiado devagar. Esta ansiedade estava-me a corroer. Pensei em falar com o Mike. Mas rapidamente desisti da ideia. Ele falaria com o Parker e eu não queria isso. Por isso recorri à Jessica. A Jessica era uma rapariga simpatiquíssima, que, não só vivia comigo como também estava nas minhas aulas de dança e de canto. Quanto à dança, tinha algumas falhas técnicas, mas uma graciosidade incomparável. E, em relação ao canto, nada se lhe podia apontar. A voz dela era perfeita. Bela e com carácter. Tal como a de Parker, que, apesar de inaudível quando falda, era suave e ao mesmo tempo rouca, com um timbre demasiado agradável para o meu próprio bem. De qualquer maneira, fui falar com a Jessica. Bati à porta e entrei naquele quarto cor-de-rosa, que era partilhado com Melanie. Ela estava sentada na cama, rodeada por montes de folhas, que deduzi serem letras de músicas.


- Vou sair com o Parker. – Anunciei. Sempre que dizia o nome dele, milhares de borboletas voavam no meu estômago. Não era uma sensação propriamente agradável.


- Boa – e olhou para mim estudando o meu rosto, que se encontrava impenetrável. – A não ser que tu aches que não é bom... Nesse caso é horrível. Como é que um homem te pode levar a fazer uma coisa assim?! – Ri-me e ela juntou-se.


- Não, não é horrível. É… é estranho… - concluí. – O que é que eu faço. Nem sei porque é que eu aceitei isto! Quer dizer ele é giro e tal… Mas…


- Mas…? Mas o quê? És solteira não és?


- É claro que sou! Não ando para aí a trair pessoas! – Só a ideia arrepiava-me, pois fazia-me lembrar de pessoas menos agradáveis e não mencionáveis.


- Então qual é o problema? Diverte-te, que mereces. Eu tenho te visto trabalhar que nem uma louca por aqui. Sai. Diverte-te. Eu conheço o Parker ele não costuma levar as coisas muito a sério. Não te preocupes. – E deu-me uma palmadinha de encorajamento no ombro. - Quando é que é?


- Sábado. Sabes, tens razão. Preciso de sair deste lugar um bocado. Ajudas-me a decidir o que vestir?


- É claro que sim! – E deu-me um abraço.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 12:16


2 comentários

De Marta a 21.05.2011 às 21:41

Quanto mais leio mais viciada fico.
Adoro!
Adoro, adoro!

De elielife a 14.07.2011 às 19:43

adoro a jessica

Comentar post



You told me I was like the dead sea. You never sink when you're with me.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog